Acordei muito cedo após uma noite de carnaval para fotografar o nascer do sol (que não existiu) e a cidade de Paraty imunda após a folia. Assim que me aproximei do centro vi muita gente correndo e gritando “F@#&u, mané!”. Um homem me abordou e disse “Você com essa câmera na mão… se tiver coragem vai ali e tira foto. Morreu um cara lá!”. Olhei de longe e, realmente, havia um cadáver estirado no chão. Não tive coragem de ir lá de imediato, ainda havia muita gente na cena e não havia polícia. Dei uma volta no centro e voltei depois de uns 15 minutos. Tomei fôlego e me aproximei para fotografar o corpo. Não tive coragem de tirar muitas fotos. Eu estava totalmente desconfortável naquela situação. 2 fotos bastaram, e me retirei.

I woke up really early after a carnival night to shoot the sunrise (which didn’t happen that day) and the filthy town of Paraty after the revelry. As soon as I reached the city center I saw many people running and screaming “F%#@ up, man!”. A man approached and said “You there, with the camera… if you have the guts go there and take a photo. A guy died in there!”. I glaced from far away and saw a corpse laying on the ground. I had no courage to go there immediately, there were too many people around him and no police. I took a walk around the city center to go back after about 15 minutes. I took a breath and closed in to shoot the body. I had no courage to take too many shots. I was totally uncomfortable in that situation. 2 shots were enough, then I moved away.



Anúncios