Category: Cotidiano


São Paulo

Novamente, um post sobre o centro da cidade de São Paulo. Já aviso que muitos outros do mesmo tema virão por aí, porque o centro da cidade é uma região com muitas possibilidades de relação entre pessoas, entre pessoas e cidade, e da cidade consigo própria.

And again, another post about the center of São Paulo. I’ll warn you that many other posts about the same subject are about to me made, for the center of this city offers many possibilities of people interacting to each other, people interacting with the city and the city interacting with itself.

Abaixo, mostro duas fotos tiradas na região da Luz. A primeira delas é uma situação cotidiana de rua, mas mostra dois planos bem definidos e contrastantes: o plano superior mostra prédios antigos e elegantes com ricos detalhes e formas em ornamentos. Já o plano inferior mostra um arranjo típico de um centro comercial urbano, com lojas abertas, produtos pendurados e pessoas passando em frente.

I show, below, two pictures taken at Luz district. The first one is an ordinary urban scene, but shows two distinct and contrasting planes: the upper one is formed of old and elegant buildings decorated with rich detalis and shapes. The lower one shows the typical situation at a commercial urban center, with open stores, products hanging everywhere and people passing by.

A segunda imagem mostra o interior da Estação da Luz. Arrumei o ângulo da foto e a composição de modo a favorecer a ideia de que a plataforma e o trem não têm fim. E no primeiro plano me interessou a presença de duas faxineiras conversando.

The second shot shows the Estação da Luz from within. I arranged the scene angle and composition in order to reinforce the ideia of an infinite platform and an infinite train. Also, I was attracted by the two cleaning women in the first plane.

Anúncios

Senhor andando

Não é que eu tenha seguido esse cidadão, mas ele acabou saindo em duas fotografias minhas de uma mesma tarde, e não só isso, foi o centro de interesse em ambas.

I did not follow this mister around, but he ended being photographed twice in the same afternoon as my subject in both photos.

Parque da Luz

Do lado da Estação da Luz e atrás da Pinacoteca há o Jardim da Luz, que um dia já foi um jardim botânico, passou muitas décadas decadente e imundo, mas hoje em dia é um lugar agradável, em que se encontram pessoas de todos os tipos e idades, entre jovens, velhos, imigrantes latinos (especialmente bolivianos) e prostitutas feiosas, tudo isso em meio a um monte de obras de arte Sem Tìtulo e em meio a uma agradável natureza.

Behind Estação da Luz and Pinacoteca do Estado, in São Paulo, there is the Jardim da Luz (Luz’s Gardens), which was a botanical garden in the past and not long ago had been filthy and decadent. Today, however, it is a pleasant place, in which there is a great variety of people, such as younsters, old men, latin immigrants (especially Bolivians) and ugly prostitutes, everyone among some Untitled pieces of art and a pleasant landscape.

Estação da Luz

É realmente apelão estar num lugar desses, com uma luz dessas. Não há foto que saia ruim. O que me faz pensar se é justo que essas fotos existam. O que eu quero mostrar, além de uma luz que é naturalmente maravilhosa? Embora haja pessoas e linhas, há algum interesse nas fotos além da luz da Luz?

It is really unfair to take photographs at this location with this light. It is impossible to take a bad picture. What do I wanna show, more than a naturally wonderful lighting? Even though there are people and lines and shapes, is there anything appealing, other than light?

 

 

 

Júlio Prestes

Cenas urbanas de São Paulo.

Urban scenes in São Paulo.

Paulistano

O Paulistano é meio sujo. Sempre carregando suas coisas pra lá e pra cá. Vive na rua, seja dentro de um carro ou andando nela. Não respeita a faixa de pedestre nem como motorista, nem como… pedestre. Faz bico pra sobreviver, trabalha de sábado, até mesmo de domingo. A vida é difícil, costuma xingar a cidade. Mesmo assim sempre tem um amigo e um sorriso meio sem jeito porque ele sabe, no fundo, que ama esta cidade.

The Paulistano is dirty. Always carrying loads of stuff all the way around. Lives at the streets, either in a car or on foot. Doesn’t respect the pedestrian crossing, neither as a driver nor as a… pedestrian. Does minor jobs for a living, works on saturdays and sundays. Life is hard, he usually blames the city. Nevertheless, he always has a friend and am awkward smile on his face because – he doesn’t want to admit it – he loves this city.

Sorrisos

Revirando fotos do começo deste ano. Eu admito que não tenho muito jeito para chegar nas pessoas e tirar fotos delas. Por isso, talvez, eu não me sinta muito a vontade tirando fotografias em eventos, em que preciso abordar desconhecidos e pedir fotos deles. Mas o engraçado é que há lugares e momentos que você nem precisa pedir, e as pessoas já se sentem muitíssimo alegres de estarem sendo fotografadas e já se prontificam a posar. Ainda mais se forem crianças. E digo mais, não importam as condições sociais.

Picking up some photographs from earlier this year. I admit I am not good at taking people’s photographs. Maybe that’s why I’m not comfortable at shooting events, where I got to approach unknown people and ask for their pictures. It’s funny, however, that there are moments in which you don’t even need to ask, people feel so happy that their picture is being taken that they immediately pose to you. Especially children. Regardless of their social status.

Sorrisos / Smiles

Praia

Fotografar uma praia em preto e branco foi uma experiência interessante. A água parece até mudar sua textura. O sol da manhã, intenso e inclinado, criava reflexos muito brilhantes, junto com sombras extensas das pessoas na areia.

Shooting a beach in black and white was an interesting experience. It seems to change the texture of the water’s surface. Also, the morning sun, very intense and oblique, creates very bright reflections and interesting figures along with people’s shadows on the sand.

 

 

 

 

 

 

Eu sempre achei interessantes as estações de metrô da Avenida Paulista. As formas curvas e estruturas metálicas dão um ar dinâmico. Contrastam bem com os prédios retos e quadrados que ficam ao redor delas.

I always thought that the Subway stations at Paulista Ave. are quite interesting. The curvilinear shapes of the metalic structures give some dynamic and modern feeling, contrasting with the rectangular-shaped building behind them.

Lixo e pessoas

Eu não sei o quão constrangido eu deveria ficar ao tirar estas fotos. Andando sobre os viadutos da cidade de São Paulo, é possível ver alguns cantos imundos com papéis, sacos plásticos, e várias outras porcarias que enfeiam bastante a cidade. Porém, andando no meio de toda esta tralha surgem pessoas para procurar algo que lhes interesse, e não se importam se é lixo para os outros.

I don’t know exactly how embarrassed I sould’ve been of taking these pictures. Walkin on São Paulo’s viaducts, it is possible to have a glance at several dirty corners with lots of papers, plastic bags and other filthy things that make the city very ugly. However, walking amidst all this mess there are peoples looking for something useful for them, and it doesn’t matter if it’s someone’s garbage.

%d blogueiros gostam disto: