Category: Eventos


Walking Dead

O dia de finados, que é uma homenagem aos mortos, é comemorado em alguns lugares do mundo na forma de uma marcha bem humorada de pessoas fantasiadas de mortos-vivos. A chamada Zombie Walk, originada nos Estados Unidos em 2001, chegou a São Paulo em 2006 e desde então, todo dia 2 de novembro milhares de pessoas se reúnem no centro da cidade para fazer uma marcha atrás de cérebros.

Marcha de zumbis no centro de São Paulo, passando sobre o Viaduto do Chá.

Os participantes não poupam recursos para montar suas fantasias. Sangue falso, máscaras, adereços dos mais variados, maquiagens, lentes de contato coloridas, e até mesmo metros e metros de gaze são usados!

 Acompanhei a turba no trajeto que sai da Praça do Patriarca, cruza o Viaduto do Chá, dá uma volta pelo centro da cidade e vai terminar no Vale do Anhangabaú.

De maneira geral as pessoas são comportadas e vão ao encontro para curtirem as fantasias e incorporarem seus personagens. Aqueles que mais investem nas fantasias fazem até questão de posar para fotos (o que facilitou bastante meu trabalho ali).

“Zumbis” posam para foto.

Participantes incorporam seus personagens durante o evento.

Carros, caminhões e ônibus são praticamente engolidos pela massa, e acabam “pintados” com o sangue falso. Muitos participantes, porém, passam um pouco dos limites. Portões de lojas e bancas, grades, telas, são alvo fácil de socos e chutes, apenas pelo prazer de fazer barulho e sujar bastante de vermelho, além de servirem de poses interessantes para os amigos com câmeras ou celulares.

Caminhão é engolido pela massa de zumbis, e sua lataria é pintada de sangue.

No fim das contas é um evento divertido. Muita bagunça, sujeira, gritos. Acompanhados de muita criatividade.

Nem o bebê escapou!

Zumbi “conquista” o telhado de uma banca de jornais.

Zombie Walk, site oficial: zombiewalksp.com

Ensaio

Estava passeando com minha namorada e amigos, sem saber que iria presenciar o ensaio para uma apresentação de dança no Auditório Cláudio Santoro, em Campos do Jordão. Tremendo golpe de sorte.

I was walking around with my girfriend and some friends, and didn’t know i would find a rehearsal for a dancing show at Claudio Santoro Auditorium in Campos do Jordão. Tremendous luck.

RED

 

Mais uma visita ao Auditório Ibirapuera. Dessa vez, com uma lente nova, 35mm f1.8. Porém, com o mesmo fascínio pelas cores fortes e vivas deste hall de entrada e, quando há algum evento ali, as cores do salão se misturam com silhuetas e reflexos de pessoas andando para lá e para cá e conversando enquanto aguardam o início do espetáculo, criando figuras e combinações bem interessantes.

Once again I visited Auditorio Ibirapuera (Ibirapuera Auditorium). This time I was using a new lens – 35mm f1.8. However, I still had the same fascination for the strong and vivid colors that fill the entrance hall and, with any event in the Auditorium itself, the colors mix with people’s shadows, silhouettes and reflexes, creating interesting figures and combinations.

 

Rio Maracatu

Um dia saí de um bar na Lapa, do Rio de Janeiro, frustrado que eu não consegui aproveitar um bom samba, quando me deparei com uma multidão na rua, assistindo um grupo de maracatu se apresentando. Peguei a câmera e comecei a disparar. Algumas ficaram boas. Tentei capturar movimento, cores e alegria, que eram exatamente os elementos que estavam ali dançando para mim.

One day I was leaving a bar in Lapa, Rio de Janeiro, frustrated that I couldn’t enjoy a good samba, when I faced a crowded street, where everyone was watching a maracatu group. I picked up the camera and started shooting. Some of the photos turned out to be kinda good. I tried to capture motion, colors and joyfulness, which were the elements that were dancing to me.

Cachecóis

Fê posando com os cachecóis da Le Postiche. Sessão de fotos para uma apresentação destas peças, que acompanhava também um vídeo ensinando como fazer os nós em torno do pescoço.

Fê posing with Le Postiche’s scarves. Photo session for a presentation regarding these pieces, which went along with a video that taught how to make the knots around the neck.

O Maestro

A Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo foi o primeiro evento que fotografei num auditório. Temos que começar por baixo, então esse é um tipo de evento que não oferece muitos desafios de iluminação, que é sempre constante, nem de poisicionamento/enquadramento dos elementos no palco, já que todos estão sempre parados. Mas foi bom para ver como é o espaço de um auditório e circular pela plateia.

The Municipal Symphony Orchestra of São Paulo was the first event I shot in an  auditorium. We have to start humbly: this is the kind of event that won’t offer many challenges with lighting, which is always constant, and also positioning/framing of stage elements, that are all still. But it was good to get in touch with the ambiance of an auditorium and to walk through the audience.


Intervalo

Num intervalo de um espetáculo de música clássica, as cadeiras ficam vazias, apenas com alguns dos instrumentos apoiados. Tiro vantagem do fato de poder me aproximar o suficiente sem incomodar nem os músicos, nem a plateia.

The intermission of a classical music concert means empty chairs with just few instruments laid on them. It’s good that I can get close enough at this time, so I don’t bother neither the musicians nor the audience.


O Auditório Ibirapuera é bastante novo (foi inaugurado em 2005), mas apresenta grandes espetáculos. Tive a oportunidade de entrar lá e fotografar, a começar pelo hall de entrada, que tem uma obra de arte vermelha que mal cabe no campo visual, quem dirá numa fotografia.

The Auditorio Ibirapuera is new (opened for the public in 2005), but already hosts great shows. I had the opportunity of going in there to take some pictures, starting with the reception hall, in which a gigantic piece of artwork stands on the wall and barely fits the visual field, so it’s unlikely that it will fit in a single photograph.


Festinha!

Festinha de crianças. Como elas não param de se mexer, é preciso tentar transmitir essa energia nas imagens. Espero ter conseguido.

Children’s party. They don’t stop moving, so this energy must be transmitted in the pictures. I hope I succeeded.


Solta o som, DJ!

Um dia eu cometi a loucura de ir para uma balada e levar a câmera. E aproveitei para treinar fotometria nessas condições um tanto adversas. Bem, algumas fotos ficaram até que decentes. =)

One day I went crazy and decided to go to a street party and take my camera with me. I also practiced photo metering under such adverse conditions. Well, some of them turned out to be kind of decent… =)

Pista de dança / Dancefloor

%d blogueiros gostam disto: