Tag Archive: trabalho


Anúncios

A Barra é Mansa

A cidade de Barra Mansa. Só conheci este lugar à noite, e não faço a menor ideia de como ele seja durante o dia. Foi aqui que comi um pratão de pedreiro por 4 reais, e como qualquer cidade pequena tudo fecha antes das 20h, exceto alguns botecos que ficam abertos até as 21:30. Aqui também tem uma linha de trem, uma ponte iluminada por neon azul (super bom gosto) e uma pracinha com chafariz. E tem um hotel com uma varanda, de onde dá para tirar fotos da rua, vista de cima.

The township of Barra Mansa. I’ve only been to this place at night so I have no idea of how it is during the day. It was here that I once ate a gigantic dish for only 4 reais. Just like any small town, commerce is almost entirely shut at 8PM, except for some small bars, that remain open until 9:30PM. There is also a railroad, a neon-lightened bridge (neat….. NOT) and a small plaza with a fountain.  The room I’m in has a balcony, from where I can shoot the scenes on the streets, as seen from above.

 

 

Sobre os andaimes

Aqui, um conjunto de fotos de operários de construção civil (vulgo peões) sobre estruturas montadas de ferro temporárias (vulgo andaimes), preparando os apoios da armação de concreto que um dia se tornarão um viaduto.

 This is a set of photographs of civil workers on temporary armed iron-tube structures (aka scaffolds), preparing the supports for the armed concrete that will become a viaduct someday.

Fotografar em preto e branco aqui não faz sentido. A graça é justamente eles serem elementos uniformizados de laranja, o que cria o elemento de interesse – laranjinhas pendurados na estrutura ou espalhados pela cena, trabalhando.

Shooting in black and white makes no sense in this case. The point is that the workers are all dressed in orange – hanging alone on the structure or spread throughout the scene –, and this is the element of interest.

O carroceiro

Continuando com a história de ontem, esse é o carroceiro que aparece naquelas fotos. Acredito que ele estivesse fertilizando a terra com esterco. Eu não estava perto o suficiente nem tinha como chegar mais perto para fazer quadros mais bem elaborados ou buscar pontos de vista mais ousados. No fim, foi o que deu pra fazer.

Continuing with yesterday’s tale, this is the wagonman from these pictures. I believe he was spreading manure to fertilize his land. I wasn’t close enough, and I didn’t have any possibility to get closer and make better frames or search for better points of view. In the end, this was what I could manage to do.

 

Garis

Estes dois garis viram que eu estava tirando fotos. A primeira reação foi tentarem sair do quadro, e quando eu disse que eu queria pegar uma cena do trabalho deles, eles ficaram à vontade e passaram a fingir que não tinha nada acontecendo (ainda bem!). Depois, perguntaram se eu ia postar as fotos no Orkut.

These two street-sweepers noticed that I was taking photographs. Their first reaction was to attempt to get off the frame, and when I told them that I was trying to picture their work, they then got relaxed and pretended that nothing was happening (thank goodness!). Later, they asked me if I was gonna publish the pictures on Orkut.


Belford Roxo

Como eu já havia postado antes, Belford Roxo não é lá dos lugares mais agradáveis. Mas cenas urbanas sempre são suscetíveis a se tornarem boas fotografias. Essa obra fica do lado de uma linha férrea, entre as estações Coelho da Rocha e Agostinho Porto. Não recomendo ir lá a passeio.

As I’d posted before, Belford Roxo ain’t a pleasing place to be at. However, the urban environment has the potential to provide plentiful of good pictures. This construction site is located beside a railroad, between Coelho da Rocha and Agostinho Porto stations. I don’t recommend touring around this place.

Pilares / Pillars

Belford Roxo


Linha férrea / Railroad

Tenho certa atração por passarelas / I got a certain attraction for footbridges

Ir para a obra em Belford Roxo é algo totalmente ingrato: horas de estrada para ir a uma obra no meio da favela, entrar em 1 ou 2 tubulões a ar comprimido, passar um calor de mais de 40 graus fora do tubulão e mais ou menos 60 graus dentro dele, e ainda ter que lidar com um pessoal de obra turrão, preguiçoso e corrupto, em seguida pegar mais horas de estrada para voltar pra casa.

Mas certa vez meu colega me convenceu a ir pra essa obra no primeiro horário (umas 7h), assim que os primeiros raios de sol tocavam os prédios. As cenas que presenciei ali compensaram o sono e a amargura dessa obra.

Going to the construction site in Belford Roxo is a very unpleasant thing to do: spending hours on the road to reach a site in the middle of a slum, get inside 1 or 2 compressed air shafts, be under an over 40ºC heat outside of the shaft and about 60ºC inside of it. To make things better, the workers in these sites are usually stubborn, lazy and corrupt. Then several more hours on the road on the way back home.

But one day my colleague convinced me to go to this construction site really early in the morning (around 7 a.m.), just when the first rays of light were touching the buildings. The photographs I took compensated the pain of being there.

Linha para Queimados / Bus line to Queimados

Cores quentes da manhã / Warm morning colors

O surgimento da força de trabalho / The rising workforce

Chuva!

E lá estava eu voltando de uma obra quando vi o céu ficar cinza escuro adiante. Estava com um colega de trabalho, paramos num restaurante na estrada e entramos no estabelecimento alguns segundos antes de começar o que foi praticamente o primeiro furacão em solo brasileiro (exagero, claro, mas estava tempesate e muito vento). Depois da calamidade passou a cair “apenas” uma chuva pesada. Saindo do restaurante vi as luzes dos carros refletindo nas poças d’água e fui tentar tirar fotos de pessoas correndo para o abrigo.

There I was coming back from the construction site when I noticed a dark-gray sky ahead. I was with my work colleague, and we stopped at a restaurant by the road and got in there few seconds before the start of what could be considered the first hurricane on Brazilian soil (this is an overstatement, nonetheless we had heavy storm and strong wind). After the calamity there was “just” heavy rain. Leaving the restaurant I saw the reflections from the cars’ lights in the water pools and tried to take a picture from people running to take shelter.

Haja água! / So much water!

%d blogueiros gostam disto: